COMECE A DIGITAR E PRESSIONE ENTER PARA PESQUISAR

Quem foram Adão e Eva biológicos?

Saber a origem de nossos ancestrais é uma das causas que levam as pessoas a se jogar no mundo da genômica pessoal e fazer testes como os de ancestralidade global e linhagens. Nessa busca, validamos muitas informações que nos foram passadas pelos nossos pais e avós, descobrimos coisas novas e surpreendentes e também ficamos com algumas dúvidas sobre o que realmente aconteceu no passado. 

Uma das perguntas que chegam com frequência em nossos canais de atendimento diz respeito aos nossos antepassados comuns por parte de mãe e de pai, conhecidos na ciência como Adão e Eva biológicos. Diferente do que se pensa em uma primeira vista, esses termos nada tem a ver com os Adão e Eva que conhecemos da bíblia cristã – como é de se esperar. Na verdade, esses nomes foram dados por convenção, já que quando utilizamos “Adão cromossomial-Y” e “Eva mitocondrial” estamos nos referindo aos primeiros indivíduos documentados que carregaram o DNA – seja ele mitocondrial ou do cromossomo Y – em uma sequência similar à que encontramos hoje. Não significa que estamos de fato falando sobre os personagens bíblicos, apenas utilizando a referência que é utilizada pela comunidade científica.

 Apesar de parecer difícil à primeira vista, eles são termos que facilitam o entendimento da genética e da ancestralidade humana. Explicaremos um pouco mais sobre eles – bem como sobre outras intersecções entre ciência e religião.

Quando ciência e mitologia se encontram

Antes do advento do método científico como recurso para a compreensão dos fenômenos da natureza, as pessoas se utilizavam da mitologia para explicar o mundo à sua volta. Estes mitos, frequentemente transmitidos por tradição oral e normalmente imbuídos de uma conotação sagrada, advinham das experiências coletivas de cada sociedade e não só ajudavam a explicar o mundo como também versavam sobre costumes, tabus e crenças de uma determinada cultura.

Quimeras eram criaturas fantásticas híbridas de leão, cabra e cobra. As quimeras de hoje em dia não são tão assustadoras. Fonte: pontobiologia

De todas as mitologias que já existiram sobre a terra, algumas delas se popularizaram mais no ocidente do que outras, com destaque para as mitologias nórdica, greco-romana e judaico-cristã (muito em partes devido ao alto número de seguidores que o cristianismo ainda detém atualmente). Figuras como Thor, Odin, Zeus, Hércules, Sansão e Noé estão, de uma forma ou de outra, presentes no imaginário popular. Não obstante, os elementos de suas narrativas estão incrustadas em diversos aspectos da nossa cultura: seria um esforço hercúleo nomear todos os exemplos, de modo que ficaríamos aqui até o próximo dilúvio tentando lembrar de todos eles.

A ciência é feita por pessoas que vivenciam a mesma cultura que as demais, portanto, é natural que, eventualmente, cientistas se utilizem de alegorias mitológicas para definir algumas nomenclaturas e termos técnicos. Além do Adão cromossomial-Y e Eva mitocondrial, podemos citar outros exemplos:

  • Quimera: na mitologia grega, era uma criatura com cabeça de leão, corpo de cabra e cauda de serpente. Em biologia, quimerismo é o termo usado para definir organismos com DNA oriundo de zigotos diferentes.
  • Medusa: criatura feminina da mitologia grega com cabelos de serpente e que transformava pessoas em pedra com o olhar. Em biologia, a palavra medusa define uma das fases da vida do filo dos cnidários: as águas-vivas.
  • Tellus: denominação romana para a deusa terra. O telúrio é um elemento químico nomeado em sua homenagem. Um caso semelhante é o selênio, nomeado em alusão à deusa Selene (lua).

Apesar de mais comumente utilizada neste contexto, a mitologia grega não é a única a contribuir com o vernáculo científico. Adão e Eva são, de acordo com as descrições do livro do Gênesis, as primeiras pessoas a habitarem a Terra, no Jardim do Eden, sendo os pais de todos os humanos até hoje.

À luz da evolução e da seleção natural, fica fácil saber que a história não se deu exatamente assim. Então, quem afinal eram Adão e Eva biológicos?

Adão biológico (ou Adão cromossomial-Y)

O termo Adão biológico se refere ao último homem cujo cromossomo Y (o cromossomo que só homens possuem) foi passado até os dias atuais, isso é, ainda possui descendentes vivos. Isso não significa que ele foi o primeiro ser humano; isso só significa que, das muitas linhagens sanguíneas e dos diversos tipos de cromossomos Y que surgiram durante a evolução da humanidade, este é o único que prosseguiu, geração após geração, até os dias atuais. Assim, é possível que tenha existido um Adão biológico mais antigo que o atual em algum ponto da história, mas como sua linhagem não foi prosseguida, consideramos o atual. O Adão biológico atual foi determinado após estudos genéticos em homens do mundo inteiro, a partir de 1987, com estimativas de tempo ainda pouco precisas, tendo vivido de 60 a 580 mil anos atrás. Um estudo de 2013, no entanto, traçou mais precisamente o Adão biológico, diminuindo a janela para cerca de 120 a 156 mil anos atrás.

Por utilizarmos o cromossomo Y para a análise dos haplogrupos paternos, a determinação da linhagem por parte de pai só é possível em indivíduos que possuem um cromossomo Y em seu cariótipo.

Eva biológica (ou Eva mitocondrial)

Já a Eva biológica, ou Eva mitocondrial, as vezes chamada de “mãe de todas as mulheres”, se refere à mais recente mulher cujo DNA mitocondrial foi passado, geração após geração, até os dias atuais. O uso do DNA mitocondrial em vez de um cromossomo específico se deve ao fato de que o DNA presente nas mitocôndrias só é passado à próxima geração pela mãe, enquanto o cromossomo X pode ser passado tanto pela mãe quanto pelo pai, já que homens são XY e podem doar um de seus pares de cromossomos e mulheres, XX, podem doar dois. A Eva biológica viveu no leste da África, entre 99 mil e 200 mil anos.

Adão e Eva genéticos viveram juntos como na bíblia?

Podemos ter a impressão que esses dois indivíduos viveram juntos, porém, apesar de possuírem uma data próxima de surgimento, Adão e Eva biológicos não se conheceram na vida real. Diferente do que a referência bíblica sugere, ambos não chegaram a formar um casal, mas seus descendentes acabaram se encontrando com o tempo e passando para seus herdeiros partes específicas do DNA que são presentes até hoje.

Demonstração da Eva mitocondrial, passando seu DNA por todas as gerações desde seu nascimento até as atuais (Creative Commons 3.0, https://commons.wikimedia.org/wiki/File:MtDNA-MRCA-generations-Evolution.svg)
Representação de como as linhagens atuais remontam à “Eva Mitocondrial”. Fonte: Wikimedia Commons.

Estudos mostram que em algum momento das migrações humanas, as linhagens se uniram e seguiram seus caminhos paralelamente, mas antes disso compartilhavam seus espaços com outras linhagens que não existem mais nos humanos modernos. Ao longo dos anos passamos por processos de seleção natural que impediram a continuidade de algumas linhagens previamente existentes e provocaram alterações do DNA das populações que restaram.

Esses estudos são importantes pois nos ajudam a compreender de onde viemos e a entender a história da humanidade e da genética humana. Assim, é possível levantar a hipótese e desenhar estudos que testem de onde nossas características vieram, há quanto tempo existem, como se espalharam pela Terra e como se modificaram com o tempo. Mais estudos genéticos estão sendo feitos com um número cada vez maior de pessoas, o que nos permitirá aumentar a precisão das estimativas e também sua robustez para servir como suporte para novas pesquisas. Algumas evidências apontam, por exemplo, para um Adão biológicos ainda mais antigos, cerca de 380 mil anos atrás. Isso é um bom exemplo de como a ciência é mutável, e quanto maior a força das evidências, mais difícil será negá-la.

Assim, a próxima vez que ouvir falar de Adão e Eva biológicos, lembre-se: Estamos falando de pares de cromossomo Y e DNA mitocondriais ancestrais milenares, não de maçãs e serpentes.

Referências

http://haplogroup-a.com/Ancient-Root-AJHG2013.pdf

https://blog.quadrante.com.br/adao-cromossomo-y-e-eva-mitocondrial/

https://www.nature.com/news/genetic-adam-and-eve-did-not-live-too-far-apart-in-time-1.13478

https://www.ancient-origins.net/news-evolution-human-origins/genetic-adam-and-eve-all-humans-are-descendants-one-man-and-woman-who-021536

https://www.livescience.com/38613-genetic-adam-and-eve-uncovered.html

https://www.livescience.com/26505-human-genome-milestones.html

https://www.nature.com/articles/325031a0

https://science.sciencemag.org/content/341/6145/562

About the Author :

Deixe um comentário