Vitamina A: funções, principais alimentos e genética

A vitamina A é um nutriente muito importante para o corpo e é, frequentemente, associada à visão e aos cuidados dermatológicos. Entretanto, além de contribuir para a saúde dos olhos e da pele, ela está envolvida diversos outros processos e funções essenciais do nosso organismo, como imunidade, reprodução, desenvolvimento do embrião, renovação adequada das células do corpo e crescimento.

Esse nutriente tem, ainda, função antioxidante e também desempenha um papel importante na prevenção de vários tipos de câncer. 

A manutenção da quantidade adequada de vitamina A no corpo depende do consumo de alimentos ricos no nutriente ou, em certos casos, de suplementação, uma vez que ele não é produzido pelo organismo de forma natural. 

O que é papel do corpo, na verdade, é a conversão da vitamina A ingerida em sua forma ativa, que será absorvida pelos órgãos. Por essa razão, a genética é um fator determinante para os níveis de vitamina A no nosso organismo, pois a sua absorção depende de uma enzima específica 

Saiba quais são os alimentos ricos em vitamina A, o que a falta desse nutriente pode causar no corpo e, também, como a genética pode ajudar na sua absorção. 

Quais são as principais fontes de vitamina A? 

A vitamina A não é produzida pelo corpo humano e é encontrada tanto em alimentos de origem animal (na forma de retinol) quanto nos de origem vegetal (provitamina A). Após sua ingestão, ela é convertida pelo organismo em sua forma ativa e, em seguida, é absorvida. 

Suas principais fontes de origem animal são fígado de boi, leite e derivados, ovos, lagosta, camarão e caranguejo. Entre os alimentos de origem vegetal, são destaques sorgo, soja, ervilha, fava, cenoura, inhame, batata-doce, espinafre, couve, brócolis, abóbora, cenoura, manga, caju, goiaba, mamão, caqui, damasco, pêssego, buriti, pupunha, dendê e pequi. 

Outras fontes podem ser enriquecidas com vitamina A, como, por exemplo, o leite em pó. 

Recipiente com brócolis e cenoura, alimentos ricos em vitamina A.
Diversos vegetais, incluindo o brócolis e a cenoura, são fontes ricas em vitamina A.
O que a falta de vitamina A pode causar no corpo? 

A deficiência de vitamina A pode ocasionar várias complicações. As mais conhecidos são a cegueira noturna e o ressecamento dos olhos, mas também pode prejudicar o crescimento, causar problemas de pele, problemas respiratórios, urinários e intestinais, crescimento de órgãos, disfunção na tiroide e no pâncreas, baixo desempenho em tarefas de aprendizagem e memória, aumento da predisposição para infecções graves, doença de Alzheimer e câncer. 

São muitos, também, os fatores que podem levar à deficiência de vitamina A. Alguns deles são a desnutrição, doenças do fígado, dos rins e dos intestinos, infecções que prejudicam o apetite ou limitam a absorção de nutrientes, cirrose biliar, sarampo, infecções por parasitas, estresse, ingestão de gordura, alguns tipos de câncer, amiloidose familiar, abetalipoproteinemia, doença de Crohn grave, obesidade, cirurgia bariátrica, ingestão de algumas substâncias químicas e consumo de álcool. 

Quais os seus efeitos na pele e no cabelo? 

Como a vitamina A possui função antioxidante, ou seja, apresenta propriedades que retardam o envelhecimento e previnem doenças, ela é adicionada a alguns cosméticos para prevenir o aparecimento de rugas e linhas de expressão. 

Também é encontrada em cremes e pomadas usados na prevenção de úlceras e para tratamento de doenças de pele, como acne e psoríase. Além disso, essa vitamina contribui na produção de colágeno, melhorando a composição dos fios e o aspecto dos cabelos. 

Relação da vitamina A com a genética 

Estudos verificaram que há uma grande variação entre os indivíduos em relação à sua capacidade de realizar a conversão de vitamina A para sua forma ativa, a que pode ser absorvida pelo organismo após a sua ingestão. 

Isso tem a ver com o gene BCMO1, responsável pela produção da enzima que realiza esse processo. De acordo com estudos, existem variantes genéticas nesse gene que foram associadas à deficiência na atividade da enzima, o que pode resultar em uma baixa conversão e níveis reduzidos de vitamina A no sangue. 

Como descobrir minhas predisposições genéticas? 

Além de poder realizar um exame de sangue para constatar se você apresenta, no momento, deficiência de alguma vitamina, é possível ir ainda mais longe e entender com profundidade as relações dos nutrientes e vitaminas com o seu DNA a partir de um teste genético. 

Com o Teste de Ancestralidade, Saúde e Bem-Estar da Genera, a partir de apenas uma amostra de saliva – que pode ser coletada em casa –, você consegue saber como a sua genética pode te ajudar a cuidar da sua pele, do seu corpo e da sua saúde, conhecendo sua predisposição para níveis reduzidos de nutrientes, a eficácia de dietas e exercícios físicos sobre o seu corpo e sua propensão a diversas doenças genéticas. 

Estão incluídos nos pacotes Standard e Completo da Genera os relatórios de Bem-Estar, com cinco painéis diferentes: Genera Nutri, Genera Skin, Genera Fit, Genera Aging e Genera You. O Completo contém, ainda, os relatórios de Saúde, através dos quais você descobre como o seu corpo reage a determinados medicamentos e suas predisposições a doenças, como câncer, Alzheimer, Parkinson e infarto. 

Saiba com mais detalhes o que vem em cada pacote. 

Referências 

BRASIL et al. Manual de condutas gerais do Programa Nacional de Suplementação de Vitamina A. 2013. https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/manual_condutas_suplementacao_vitamina_a.pdf 

BVS – Biblioteca Virtual em Saúde. O que é e para que serve a vitamina A? Disponível em:  https://aps-repo.bvs.br/aps/o-que-e-e-para-que-serve-a-vitamina-a/#:~:text=A%20vitamina%20A%20%C3%A9%20um,do%20nosso%20corpo%20(1). Acesso em: 16/05/2022. 

DAWSON, M. I. The importance of vitamin A in nutrition. Current pharmaceutical design, v. 6, n. 3, p. 311-325, 2000. https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/10637381/ 

LEUNG, W. C. et al. Two common single nucleotide polymorphisms in the gene encoding β‐carotene 15, 15′‐monoxygenase alter β‐carotene metabolism in female volunteers. The FASEB Journal, v. 23, n. 4, p. 1041-1053, 2009. https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/19103647/ 

TIMONEDA, Joaquín et al. Vitamin A deficiency and the lung. Nutrients, v. 10, n. 9, p. 1132, 2018. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC6164133/ 

Veja Saúde. Vitamina A: conheça sua importância para o corpo humano. Disponível em: https://saude.abril.com.br/bem-estar/vitamina-a-conheca-sua-importancia-para-o-corpo-humano/. Acesso em: 16/05/2022.