Aumentamos a precisão e incluímos novas populações no painel de ancestralidade

Um dos principais objetivos de quem realiza um teste de ancestralidade é descobrir de quais regiões do mundo vieram os seus antepassados. As motivações podem ser várias, e vão desde a simples curiosidade até o desejo de buscar registros históricos ou a vontade de planejar uma viagem. Por isso, quanto mais precisos forem esses resultados, melhor. 

A Genera, sabendo que o detalhamento dos resultados é uma demanda constante dos seus clientes e buscando oferecer serviços e produtos cada vez mais completos, traz novidades em sua calculadora de ancestralidade, com o objetivo de torná-la ainda mais precisa. 

Com a atualização do painel, os resultados de ancestralidade apresentarão 59 novos subgrupos populacionais, além das regiões e grupos já existentes. No total, a plataforma será dividida em 78 regiões geográficas e grupos populacionais de todo o mundo, o que permitirá uma análise muito mais profunda da origem dos seus antepassados. 

Entenda o que mudou na plataforma e como foi possível chegar a esses novos resultados. 

O que mudou? 

Acompanhando os avanços da ciência e o crescimento do nosso banco de dados, conseguimos aprimorar e aumentar o detalhamento dos nossos resultados. 

A partir de agora, a nova versão do painel de ancestralidade apresentará dois tipos distintos de análises: a quantitativa (que já estava presente na última versão dos resultados) e a qualitativa. Te explicamos o que quer dizer cada uma delas. 

Com a análise quantitativa, conseguimos indicar, na forma de porcentagens, a origem do seu DNA, isto é, mostramos no mapa como o seu material genético estaria distribuído pelos continentes. Por exemplo: pode aparecer nos seus resultados que o seu DNA é 50% europeu, 30% africano e 20% americano, totalizando 100%. Apresentamos, ainda, dentro desses grupos, a quantidade de material genético que pertence a algumas sub-regiões: esses 50% de origem europeia podem ser 40% da Itália e 10% do Leste Europeu. Por quantificar de onde veio cada pedacinho do seu DNA, dizemos que se trata de uma análise quantitativa. 

A atualização do painel de ancestralidade manteve esse tipo de análise, em porcentagens, mas adicionou a ele uma nova metodologia, a qualitativa. A partir de agora, os resultados mostram a probabilidade de o seu DNA ter origem em subgrupos ainda mais específicos dentro dos já existentes. Digamos que 40% do seu DNA sejam originários da Itália, assim como mencionamos no exemplo anterior. Além de apresentar essa porcentagem, estimaremos, agora, se esses 40% têm mais chance de ser do Norte ou do Centro-Sul da Itália. 

Essa probabilidade não será apresentada como uma porcentagem, mas sim no formato de barras. Quanto mais barras estiverem preenchidas, maior a probabilidade de o seu material genético ter procedência daquela região.

As barras indicam a probabilidade de o DNA pertencer a populações ou regiões específicas.

Populações ameríndias e africanas 

A nova calculadora de ancestralidade levou em consideração, especificamente, a história e o perfil genético da população brasileira, dando detalhamento a subgrupos ameríndios e africanos.  

Tais povos testemunharam, desde o início da colonização das Américas, um grande apagamento histórico de suas culturas e de seus registros. Por isso, deu-se importância à tentativa de resgate da ancestralidade dessas populações. 

No painel, as populações ameríndias estão divididas em Tupi (Tupi Mondé e Tupi Ariquém), Amazônia, América Andina (Lago Titicaca e Região Central dos Andes), Patagônia, América Central e América do Norte. Em relação às populações africanas, vários novos subgrupos foram adicionados, como Norte da Etiópia, Centro-Sul da Etiópia e Somália (dentro de Chifre da África), e Oeste do Quênia e Região dos Grandes Lagos (em Leste da África). 

Como chegamos aos resultados? 

Para chegarmos aos resultados de ancestralidade, comparamos o DNA que você envia à Genera com o nosso banco de dados, que conta com milhares de amostras de referência de populações de todas as partes do mundo. 

A partir da análise do DNA de 300 populações diferentes e de múltiplos estudos sobre a história e a genética das populações, os dados foram agrupados nos 78 grupos populacionais e regiões geográficas que estão presentes na nova versão do painel.  

Se desejar entender com mais detalhamento como fazemos as nossas análises e as técnicas utilizadas, leia sobre os nossos processos. 

Dúvidas frequentes 

Todos os clientes da Genera receberão de forma gratuita a atualização do painel de ancestralidade. A estimativa é que até fim de maio todos os painéis já estejam atualizados. Não conseguimos estimar a data de atualização de cada pessoa, mas você verá as mudanças em seu perfil dentro do prazo estipulado. 

Os clientes que fizeram o teste durante a parceria da Genera com o Family Tree DNA não terão os resultados atualizados. 

Com base nos novos algoritmos usados para melhorar a precisão dos resultados, é possível que haja algumas mudanças nas porcentagens do seu painel de ancestralidade. Nenhum outro painel da Genera, inclusive a plataforma Busca Parentes, sofrerá alterações nesta atualização. Pode ser, também, que algumas pessoas não vejam mudanças nos seus resultados de ancestralidade caso o seu DNA não tenha origem nos grupos populacionais adicionados ao painel. 

A atualização para o novo painel de Ancestralidade Global pode acontecer em qualquer momento dentro do prazo mencionado acima. Após a mudança, não será mais possível visualizar os resultados de Ancestralidade Global da versão anterior.