O que é intolerância à lactose: sintomas, diagnóstico e genética

A intolerância à lactose é considerada o tipo de intolerância alimentar mais comum em todo o mundo. Ela ocorre quando o organismo não consegue produzir quantidades suficientes de lactase, uma enzima responsável pela quebra da lactose, um açúcar presente no leite e seus derivados. Dessa forma, a lactose se acumula no intestino e é fermentada pelas bactérias que vivem ali, causando mal-estar. 

Essa intolerância pode ocorrer de três formas principais. A congênita, que é a forma genética e mais rara da condição, se dá quando o indivíduo nasce sem a capacidade de produzir a lactase. A deficiência primária, por sua vez, é a forma mais comum da intolerância. Ela ocorre quando há a diminuição natural da produção da lactase ao longo da vida. Há também a deficiência secundária, quando a produção da lactase é prejudicada devido a alguma doença intestinal, alergia alimentar ou infecções.  

O que é lactose e lactase?  

A lactose é um tipo de açúcar que está presente no leite de origem animal e também em seus derivados, como queijo, manteiga, iogurte, entre outros. Quando ingerido, esse açúcar é quebrado em pedaços menores, que são absorvidos no intestino delgado e depois vão para a corrente sanguínea para serem usados como fonte de energia pelo organismo. A lactase é a enzima responsável por realizar essa quebra e, quando há algum problema com ela, a lactose não é digerida da forma como deveria, ocasionando complicações ao organismo.

A enzima lactase, além de estar presente no leite, pode ser encontrada em seus derivados, como queijos, iogurte e manteiga.
Sinais e sintomas da intolerância à lactose 

As manifestações clínicas da intolerância podem aparecer entre 30 minutos a 2 horas após a ingestão de laticínios. As pessoas podem ser intolerantes à lactose em graus variados, dependendo da gravidade dos sintomas e, também, da quantidade de lactose ingerida. A má digestão da lactose leva à sua fermentação no intestino, ocasionando sinas e sintomas que incluem inchaço e dor abdominal, gases em excesso, diarreia, náuseas, vômito e, às vezes, constipação intestinal. 

Como saber se tenho intolerância à lactose?  

Caso apresente alguns dos sinais e sintomas relatados acima, procure um especialista para te auxiliar e indicar qual o melhor exame a ser realizado.  

O diagnóstico pode ser realizado de diferentes maneiras. A primeira é o exame clínico, em que todos os alimentos com lactose são retirados da dieta por alguns dias e, após esse período, verifica-se se os sinais e sintomas desapareceram. 

Já o teste respiratório avalia a eliminação de hidrogênio que é produzido pela fermentação da lactose no intestino e é posteriormente eliminado em quantidades aumentadas pela respiração.

Também pode ser conduzido um teste de tolerância à lactose, em que a pessoa ingere certa quantidade de lactose para que sejam observados os valores sanguíneos de glicose. 

O indivíduo ainda pode realizar um teste genético quando se suspeita de intolerância primária ou congênita à lactose. A partir desses testes, é possível avaliar a presença de mutações em genes que proporcionam a característica de persistência da produção de lactase e tolerância à lactose. 

Relação com a genética 

A capacidade de um indivíduo continuar produzindo a lactase na vida adulta é determinada por seus genes. O gene LCT, presente no cromossomo 2, é responsável por uma proteína envolvida no funcionamento da enzima lactase, que está totalmente ativa nos primeiros anos de vida. Com o crescimento e a diminuição do consumo exclusivo de leite, o nível dessa enzima vai diminuindo e, consequentemente, a capacidade de digerir o leite e seus derivados também.

Contudo, alguns indivíduos continuam a produzir essa enzima ao longo de toda a vida. Variantes genéticas próximas ao gene LCT estão relacionadas com a desativação da enzima lactase no decorrer do desenvolvimento do indivíduo. 

É possível descobrir os impactos da nossa genética sobre o nosso corpo a partir do Teste de Ancestralidade, Saúde e Bem-Estar da Genera. A partir de apenas uma amostra de saliva – que pode ser coletada em casa –, você consegue saber sobre a predisposição para intolerância à lactose, sobre dietas e os exercícios físicos mais adequados ao seu corpo, predisposições a doenças genéticas e à deficiência de vitaminas, além de descobrir como cuidar da pele a partir do seu DNA e muito mais.

O teste genético da Genera, realizado a partir de amostras de saliva, analisa dezenas de predisposições genéticas, incluindo a intolerância à lactose.
Como conviver com a intolerância à lactose? 

Geralmente, intolerantes à lactose possuem uma dieta restrita, sem o consumo de alimentos que contêm lactose. Com isso, é necessário adaptar a alimentação de modo que os nutrientes encontrados no leite e seus derivados sejam substituídos por outros 

Um médico ou um nutricionista pode planejar uma dieta equilibrada, com alimentos que forneçam as quantidades ideais desses nutrientes, principalmente cálcio e vitamina D. O consumo de agrião, rúcula, espinafre, manjericão, nozes, amêndoas, brócolis e camarão são boas alternativas. 

Além disso, observar os rótulos alimentares é essencial para evitar a ingestão de possíveis fontes de lactose nos alimentos. 

Referências 

DI COSTANZO, Margherita; CANANI, Roberto Berni. Lactose intolerance: common misunderstandings. Annals of Nutrition and Metabolism, v. 73, n. 4, p. 30-37, 2018. https://www.karger.com/Article/FullText/493669 

DLE – Genética Humana, Doenças Raras e Genômica. Intolerância à lactose por teste genético. Disponível em: https://www.dle.com.br/areas-de-atuacao/biologia-molecular-genetica-humana/intolerancia-a-lactose-por-teste-genetico/ Acessado em 02 maio 2022. 

DENG, Yanyong et al. Lactose intolerance in adults: biological mechanism and dietary management. Nutrients, v. 7, n. 9, p. 8020-8035, 2015. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4586575/ 

MISSELWITZ, Benjamin et al. Update on lactose malabsorption and intolerance: pathogenesis, diagnosis and clinical management. Gut, v. 68, n. 11, p. 2080-2091, 2019. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC6839734/ 

Minha saúde. Intolerância à lactose: o que é, quais os sintomas e como lidar. Disponível em: https://minhasaude.proteste.org.br/o-que-e-a-intolerancia-a-lactose/?gclid=CjwKCAjwjtOTBhAvEiwASG4bCBavUf7yD4u0xEurfy3qgsqINYrnBhSiEdAld7aeQ_iK5R1deTwaLBoCJC0QAvD_BwE#Qual_o_tratamento_para_intolerancia_a_lactose Acessado em: 06 maio 2022. 

Sociedade Brasileira de Pediatria. Intolerância à lactose. Disponível em: https://www.sbp.com.br/especiais/pediatria-para-familias/noticias/nid/intolerancia-a-lactose/ Acessado em 02 maio  2022.