COMECE A DIGITAR E PRESSIONE ENTER PARA PESQUISAR

Farmacogenética para Câncer

Precisão no tratamento com Irinotecano

O gene UGT1A1 e a terapia com Irinotecano


O Irinotecano é um fármaco antineoplásico inibidor de topoisomerase usado no tratamento de câncer colorretal e câncer de pulmão de células pequenas, sozinho ou em associação com outros medicamentos. Seus efeitos adversos incluem queda de cabelos, diarreia e imunossupressão.

Uma vez no corpo humano, o Irinotecano é transformado em SN-38, sua forma ativa. Em seguida, é metabolizado pela enzima UGT (UDP-glucuronosiltransferase) para ser eliminado. Esta enzima é codificada pelo gene UGT1A1, cuja importância no tratamento com Irinotecano é ressaltada em diversos artigos e diretrizes internacionais.

O alelo *28 do gene UGT1A1, por se tratar de um alelo que não expressa muito bem a UGT, está associado à bioacumulação da forma ativa do Irinotecano nos tecidos, o que, por sua vez, aumenta a prevalêcia e a gravidade de seus efeitos colaterais.

Em se tratando do Irinotecano, um medicamento de baixo índice terapêutico*, é de extrema importância que o prescritor conheça o perfil metabólico de seus pacientes, uma vez que os efeitos adversos podem não só prejudicar a terapia como também ser fatais.

*Índice terapêutico refere-se à margem de segurança da dose de um medicamento. Quanto maior o IT, mais segura é a terapia.

Referências:
ISHIKAWA, T. et al. Transport Mechanism-Based Drug Molecular Design: Novel Camptothecin Analogues to Circumvent ABCG2-associated Drug Resistance of Human Tumor Cells. Current Pharmaceutical Design, 2006, 12, 313-325
HU, Z. et al. Dose-dependent association between UGT1A1*28 genotype and irinotecan-induced neutropenia: low doses also increase risk. Clinical Cancer Research, 2010, 08, 16(15)

Segurança e Confiabilidade


Nosso laudo é uma ferramenta poderosa, com recomendações baseadas em diretrizes estabelecidas por consórcios internacionais que compilam e organizam os mais recentes e confiáveis estudos da área da Farmacogenética.

Análise Farmacogenética para Câncer

  • Metodologia: PCR
  • Perfil de metabolização para UGT1A1
  • Amostra: sangue (não precisa de preparo)
  • Cobertura pelo convênio: informe-se com seu provedor

Conheça nossos outros paineis de Farmacogenética